Archive for 24 de novembro de 2015

Beatles em Edimburgo

Para comemorar meu aniversário, em outubro, fizemos uma viagem a Edimburgo, na Escócia. Este é um passeio que realmente recomendo. A cidade é excepcional. Cheia de história, belos jardins, bons pubs com música ao vivo, várias lojas de discos (o que é incomum atualmente)… Som de gaita de fole, castelo, scotch whisky experience,  homem vestindo kilt… Tudo muito peculiar.

Antes de viajar, fiz uma pequena pesquisa e descobri que Edimburgo tem associações interessantes com os Beatles. Vejam:

O primeiro show do grupo na cidade foi em 29 de abril de 1964 e o segundo, em 19 de outubro do mesmo ano. Estavam no auge da fama, logo após a bem-sucedida excursão aos Estados Unidos e a apresentação no programa de Ed Sullivan . Os Beatles já tinham se apresentado pela Escócia anteriormente, mas ainda não haviam tocado em Edimburgo.

O primeiro show foi realizado graças ao esforço de duas jovens fãs, que recolheram 8.000 assinaturas pedindo a vinda do grupo. A petição chamou a atenção da mídia local, que se interessou em trazer o grupo para duas apresentações, às 6:30 e às 8:50h, no cinema ABC, na Lothian Road. Como sempre acontecia, as apresentações dos Beatles duraram apenas meia hora, e mal se conseguia ouvir o que estavam cantando, tal a gritaria dos fãs.

Os ingressos se esgotaram em poucos minutos e só aqueles que pernoitaram na porta do cinema conseguiram comprar. Há vários registros fotográficos da época, mostrando as filas que se formaram para comprar ingressos para esses shows em Edimburgo. E também para entrar no cinema.

Segundo os relatos, os Beatles chegaram ao local às 6h e ainda tiveram tempo de dar uma entrevista rápida a repórteres de jornais e rádios locais, no foyer do ABC.

Foyer do cinema ABC

Conhecemos o local do antigo cinema ABC, que anos depois passou a se chamar Odeon (foi inaugurado em 1938, com o nome de Regal). O cinema fechou em 2000 e o auditório foi demolido em 2001, dando lugar às múltiplas salas de cinema que existem atualmente, ainda com o nome Odeon. A fachada, entretanto, permanece praticamente a mesma.

Mas as ligações com os Beatles não param aí. Stuart Sutcliffe, o primeiro baixista dos Beatles, nasceu em Edimburgo, em 23 de junho de 1940.

John Lennon passou várias férias de verão (até 1957) em Edimburgo, na casa de sua tia Mater e de seu primo Stan Parkes, que haviam se mudaram de Liverpool para Edimburgo em 1949. O endereço da casa, no número 15 da Ormidale Terrace, aparece em uma agenda de Lennon que foi leiloada.

Especula-se, inclusive, que a música Rain teria sido composta nesta casa.

15 Ormidale Terrace, Murrayfield

Os dois primos, John e Stan, costumavam andar pela cidade, visitar o castelo e o Arthur`s Seat, ir ao cinema e ao Estádio Murrayfield de rugby, que fica bem próximo da casa da família. John passava alguns dias na casa da capital, depois todos iam para a casa na praia em Durness passar o resto da temporada.

Lennon  passou bons momentos na Escócia, e considerava Edimburgo uma de suas cidades favoritas.

Em 1969, recém-casado, John levou Yoko e os filhos Kioko e Julian à casa da Ormidale Terrace,  numa tentativa de integrá-la à família, e depois foram até Durness, ao norte da Escócia. Dizem as más línguas que tia Mater não gostou muito de Yoko… Há fotos deles andando em Princes Street, a principal rua comercial, na região central.

Lennon na Princess Street, em frente ao Royal Bank of Scotland

Ormidale Terrace é uma rua do bairro residencial Murrayfield. Na esquina, a poucos metros da casa da família de John, do outro lado da rua, fica a igreja de Murrayfield.

E para homenagear o visitante ilustre, no centro de Edimburgo, em Princes Street Gardens, há um banco fornecido pela “Edinburgh Beatles Appreciation Society”, com as inscrições:

Em Durness (norte da Escócia), há um memorial em homenagem a John Lennon. Nele está gravada a letra da música In my life, pois consideram que a localidade serviu de inspiração para o verso “There are places I remember”…  Quem sabe algum dia ainda vamos até lá!

Fontes:

http://www.scotsman.com/lifestyle/culture/music/lost-edinburgh-the-beatles-at-the-abc-1-3391752

http://new.durness.org/?page_id=2210

http://kenwoodlennon.blogspot.co.uk/

http://www.scotsman.com/lifestyle/imagine-that-my-cousin-john-was-one-of-the-beatles-1-1309758

Covers

Fazer cover de canções dos Beatles passou a ser um lugar comum há muitos anos.
Existem aqueles que são meras tentativas de copiar o original. Estes não me despertam muita atenção.

Mesmo entre as bandas cover que aprecio bastante, tenho em maior conta aquelas que também possuem trabalhos próprios, inspirados ou não nos Beatles. Exemplos claros são o grupo The Wanteds, de Franca, (com bons discos de trabalho integralmente autoral) e o grupo ZoomBeatles, com a sua encarnação de Os MacCacos, também com composições próprias. No mais, bandas cover – acredito – são excelentes para serem vistas em shows ao vivo.

Cold Magic Tales (2012)                                                                                         Juntando Os Cacos (2008)

Ouçam:

When I Love YouThe Wanteds

Sorriso de PapelOs MacCacos

A existência de muitos covers certamente é um importante fator que levou o repertório dos Beatles a ser aceito e conhecido em praticamente todas as línguas e estilos musicais. Arrisco dizer que, não fossem os covers, o fenômeno do grupo estaria apenas nos livros de história…

Gosto muito de conhecer as diversas “leituras” que cada canção composta por eles permite. E sem dúvida, a alta qualidade de suas composições é o que abre a possibilidade de arranjos tão diversos.

Procuro não fazer comparações. A ideia primordial é conseguir apreciar o novo arranjo e, por conseguinte, apreciar a universalidade da criação original.

Com este post inicio uma apresentação de covers que possuo em minha coleção e considero interessantes. Se ele se encontrar no Youtube, colocarei um link. Para os que não estiverem disponíveis, colocarei um link de áudio aqui no blog.

Se quiser deixar sua opinião sobre as gravações, ela será muito bem-vinda. (Basta clicar em comentários que se abrirá um campo para preencher.)

Within You, Without You – Patti Smith do álbum “Twelve” (2007)

Real Love – Regina Spektor do álbum “Instant Karma: The Amnesty International Campaign to Save Darfur”  (2007)

Don’t Pass Me ByGeorgia Satellites do álbum “Open All Night” (1988)

Run For Your Life – Robert Gordon do álbum “Lost Album Plus…” (1998)

Good Morning, Good Morning – Micky Dolenz do álbum “Remember” (2012)

Strawberry Fields Forever – Peter Gabriel do álbum O.S.T “All This And World War II” (1976)

Fixing A Hole – Cory Chisel and The Wandering Sons do álbum “Minnesota Beatle Project Vol. 2” (2010)

And Your Bird Can Sing – Jim Reid do álbum “Revolver Reloaded” (2006) MOJO magazine

Any Time At All – Nils Lofgren do álbum “Night Fades Away” (1981)

A Hard Day\’s Night – Ella Fitzgerald ao vivo (1965)

Something – Peggy Lee do álbum “Is That All There Is?” (1969)

Mais fotos

Seguem mais algumas fotos de lugares relacionados aos “Fab Four”:

St Pancras Old Church and Gardens, com hospital St Pancras ao fundo ("Mad day out")

St Pancras Old Church and Gardens ("Mad day out")

John Lennon em um quadro do programa de TV "Not only...But also", em 1966

Beatles em 2 de julho de 1963, na Rupert Court, no Soho (almoçamos no pub "The Blue Posts" que aparece ao fundo na foto dos Beatles)

Esta dispensa legenda

Wapping Pier Head (Mad Day Out)

Dando prosseguimento ao nosso Mad Day Out, no último domingo fomos passear na região à margem do Tâmisa onde os Beatles foram fotografados em 28 de julho de 1968.

Essa área a leste de Londres denominada Wapping, na margem norte do rio, agora lembra muito pouco a região das docas do passado.  Os armazéns que existiam no local foram demolidos para construção de edifícios ou revitalizados para servirem de moradia. Vários parques foram construídos à margem do rio…

Percorremos a Wapping High Street, onde os Beatles tiraram as primeiras fotos, mas nada mais do Colonial Warves que aparecia na foto, pois o prédio foi demolido, dando lugar a blocos de apartamentos com frente para o Tâmisa.

À margem, atualmente, há uma calçada,  protegida com grades, para caminhadas e lazer dos moradores e visitantes.

Deste local podemos ter uma visão aproximada do que aparece na foto dos Beatles, com a Tower Bridge ao fundo.

A maioria das fotos dos Beatles foram tiradas no Wapping Pier Head. Os dois prédios (West e East) continuam lá, residenciais agora… mas talvez já fossem antes, pois Paul aparece em uma das fotos conversando com moradoras.

A parte central, entre os dois prédios, que termina em uma rampa para o rio, atualmente é um jardim fechado com grades, só para os moradores.  Inúmeras placas avisam que é proibido entrar ou estacionar no local (talvez tentando afastar os beatlemaníacos). Avançando até onde conseguimos, pudemos tirar algumas fotos.

O acesso ao rio, nesse ponto da Wapping High Street, só é possível por uma escada, no final de uma passagem muito estreita, que inicia entre o pub Town of Ramsgate e o prédio a oeste, a poucos passos do Pier Head. Pudemos observar que é um local muito visitado.

Essa escada (Wapping Old Stairs) tem uma história trágica. No passado – na maré baixa – piratas, contrabandistas e outros malfeitores condenados eram acorrentados na parte de baixo da escada e deixados para morrerem afogados com a subida da maré.

Provavelmente, as fotos de Paul acorrentado fazem referência a esse fato histórico. O lado meio macabro dessa parte da sessão de fotos, com John simulando estar morto, também deve ter a ver com a história do local.